Organizações Não-Econômicas e Filantrôpicas
  • Aspectos Legais e Tributários
  • Por Gilberto José de Andrade Filho
  • Compre aqui
Estamos há 19 anos ajudando você a atingir os resultados desejados! Associe-se hoje mesmo! Nossos associados contam com atendimento personalizado
e acesso à nossa base de dados
Adquira já o seu livro

FILANTROPIA

Comissão aprova relatório de fiscalização de entidades beneficentes



A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle aprovou, na quarta-feira (28), o relatório final do deputado Edson Aparecido (PSDB-SP) sobre o pedido de fiscalização da concessão de certificados a entidades beneficentes pelo Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS). O objetivo era verificar a legalidade dessas concessões pelo CNAS e apontar medidas de correção para as possíveis irregularidades.

A fiscalização foi pedida pela Associação Nacional de Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip). A entidade lembrou que a Polícia Federal, por meio da operação Fariseu, que apurou em 2008 a existência de quadrilha envolvida na emissão fraudulenta de certificados pelo CNAS a entidades de assistência social. De posse dos certificados, as entidades obtêm benefícios, como descontos de impostos.

O resultado do trabalho foi enviado à comissão pelo Tribunal de Contas da União (TCUÓrgão auxiliar do Congresso Nacional que tem por atribuição o controle externo dos atos financeiros, orçamentários, contábeis, operacionais e patrimoniais dos Poderes da República. ) e, de acordo com Edson Aparecido, é considerada atendida a solicitação.

Recomendações
Entre as providências, segundo o relator, o TCU recomendou a realização de auditoria de conformidade nos setores do Conselho envolvidos na concessão dos certificados, para verificar a regularidade dos atos de concessão e renovação de registro e certificado de entidade beneficente de assistência social.

O TCU decidiu ainda que o CNAS deverá demonstrar o cumprimento dos regulamentos, normas e procedimentos para concessão, renovação e cancelamento de registro e certificado de entidade beneficente de assistência social. Já a Secretaria Federal de Controle Interno terá que verificar e avaliar o cumprimento, por parte do CNAS, dessas normas.

Íntegra da proposta: http://www.camara.gov.br/internet/sileg/Prop_Detalhe.asp?id=422419

REP-37/2008

Reportagem - Oscar Telles
Edição – Regina Céli Assumpção


Fonte: Agência Câmara






Localização

Entre em contato

Links Úteis